De olho no mercado: o desafio de ser diferente, vender mais e fidelizar clientes


De olho no mercado: o desafio de ser diferente, vender mais e fidelizar clientes

Rodrigo Rodrigues apresentou cases e compartilhou situações que viraram referência no mercado.

Em uma época em que tudo parece já ter sido inventado e pensado, como fazer diferente, vender mais e ainda fidelizar clientes? Essas são algumas respostas que empresários dos mais diferentes ramos costumam fazer, principalmente em um país como o Brasil, que conta com tantas particularidades únicas no mundo. Com a intenção de indicar caminhos, a RPC e o NPCom, Núcleo Setorial de Profissionais de Comunicação, trouxeram a Cascavel, na noite de quinta-feira, um dos publicitários mais conceituados da atualidade paranaense. 
Rodrigo Rodrigues é presidente do Sinapro/PR (Sindicato das Agências de Propaganda do Estado do Paraná), especialista em Branding pela Kellog Schooll of Management e mestre em administração. Rodrigo informou que em momentos de dificuldades, como os atualmente vividos no País, aqueles que se prepararam farão a colheita. Mas essa época também é de semeadura, porque o mercado é cíclico. A cautela precisa ser aliada para que os passos sejam ainda mais cuidadosamente pensados, mas não um conselheiro que freie e conduza a empresa à estagnação. "Quem é melhor estabelecido, sofre menos em períodos de retração".
O movimento de grupos estrangeiros, que aproveitam a desvalorização do real para comprar empresas nacionais, é um indicativo de que o mercado vai virar. "O mundo está apostando no Brasil, essa é a mensagem. Então porque nós também não fazemos o mesmo", sugeriu Rodrigo. Em que lado devemos e queremos estar e como a comunicação poder ajudar a enfrentar épocas difíceis, questionou o publicitário. A primeira das dicas é de que a constante construção da marca é uma estratégia eficiente para o lucro. 
Um especialista mundial em precificação, citado por Rodrigo, disse que medidas simples, como de aumentar preços em apenas 2%, podem representar a impulsão da margem de lucro em até 20%. E para isso há medidas que não necessariamente a de elevar o valor de um produto, como de reduzir descontos e deixar de arredondar valores para baixo. "São posturas simples, porém de enorme impacto na empresa". O branding, como uma ferramenta multidisciplinar de construção e fortalecimento de marca, ajuda a criar relações diferenciadas para supor preço maior ou, em caso de o valor ser idêntico ao do concorrente, fazer com que o cliente opte pelo seu produto ou serviço.

Superpoderes
Rodrigo apresentou cases e compartilhou situações que viraram referência no mercado. Ele citou algumas marcas que atingiram o status de superpoderosas, mas que também começaram pequenas, alertou o publicitário. Um dos passos mais importantes que todas tiveram que aprender e praticar é de definir como as pessoas têm que lembrar do seu negócio. "O primeiro público a ser impactado é o interno e a construção de uma marca forte começa em casa", afirmou o presidente do Sinapro/PR. Para margem diferenciada, é fundamental definir como precisa ser percebido e como ser diferente dos concorrentes.
A capacitação das equipes, em todas as áreas do setor produtivo, é um aliado importante no jogo do mercado. Porém, o Brasil precisa avançar e muito nesse aspecto. Aqui, a média de treinamento por colaborador é de 30 horas, enquanto que em países desenvolvidos chega a 270. Rodrigo Rodrigues fez uma provocação aos presentes: Será mesmo que o consumidor brasileiro privilegia apenas o preço? E ele comprovou que não, por isso é imprescindível observar tendências e observar o comportamento de grupos dos mais diferentes extratos sociais. "O marketing é um jogo de surpresa, de antecipação. Se a empresa conseguir isso, então o consumidor pagará o que for preciso para ter um referido produto".

Clareza
Uma das regras de ouro das marcas superpoderosas começou pela definição da imagem na cabeça das pessoas. "Quanto mais clara e mais definida, mais forte será a presença dela". Rodrigo lembrou que marca é um desenho que identifica uma coisa e o maior desafio é de transformar um sinal em um símbolo. Outra questão fundamental é entender o que é relevante para o público-alvo. Por isso, ser diferente e de maneira intensa é uma estratégia das mais valorizadas. O posicionamento é um critério decisivo nesse contexto, porque não permite a acomodação e exige constante reforço e atenção aos eventuais riscos.
Outra sugestão do presidente do Sinapro/PR foi de que se uma determinada empresa não consegue ser referência em uma categoria, que invista então em algo novo e crie outra. "Escolher uma posição é dizer não para as demais". Investir em marca é uma necessidade, principalmente em épocas de pouca circulação de dinheiro. "É especialmente nesses períodos que as mais fortes se sobressaem". Pesquisas com consumidores evidenciam a importância da construção da marca. Eles dizem, entre outras coisas, que uma marca conhecida é melhor que outra desconhecida. Ou seja, marcas fortes garantem melhores margens.

Inimigo
A construção da marca conta com inimigos implacáveis. Dois deles são a ansiedade e o imediatismo. Conforme Rodrigo, algumas precisam de décadas para ser consolidadas e reconhecidas. "Paciência e perseverança são virtudes essenciais nesse negócio". Rodrigo citou passos que podem levar a um Branding eficiente: compromisso com a excelência, inovação, design, preocupação com sustentabilidade, precisão, obsessão por detalhes, encontro com o raro, o único e o exclusivo, profissionalismo e perfeição.

X